EX-TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
Seja muito Bem-vindo!

Regista-te aqui e descobre a verdade sobre a "verdade"

Lê as regras e respeita-as

Alguma duvida a Adm/Mod está pronta a ajudar.



"Quando aceitamos tudo o que a Organização diz sem verificar, mostramos confiança na Organização. Mas, se mantivermos um espírito atento e examinarmos 'quanto a se estas coisas são realmente assim' (Atos 17:11), então, mostramos zelo para com Jeová. Para quem você mostra zelo?"

Como um cristão encara Lucas 16:18?

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Como um cristão encara Lucas 16:18?

Mensagem por mjp em Sex Out 12 2012, 23:44

@TJ Curioso escreveu:
@MariaL escreveu:
TJ Curioso,

Também tu me fizeste pensar (ainda mais! Very Happy ).
Que relação podemos estabelecer entre o "tempo" e o facto de estarmos aqui? Queres explicar o que entendes por "quem deseja seguir com a sua vida e já resolveu na sua cabeça os assuntos relacionados com a sua anterior experiência na Org..."?

MariaL o que eu pretendi demonstrar, tendo como base a tua postagem, é que, como diz Salomão, "há um tempo para tudo".

Quando alguém se apercebe que viveu uma vida, não a sua, mas a de outros... aquilo que outros quiseram que ela fizesse, pensasse, etc., isso cria uma profunda frustação. Quando a pessoa fica desencatada com a realidade que experienciou até ao momento do "despertar", isso faz com que ela fique profundamente revoltada, angústiada e até mesmo deprimida.

Muitos recorrem a fóruns como estes na busca de apoio, compreensão e até mesmo amizade, porque todo esse mundo construído durante anos, deixa de existir num estalar de dedos.

A pessoa precisa reconstruir-se e reconstruir o seu mundo. Isso leva tempo. Leva tempo a deixar de ficar frustado, zangado e revoltado com aqueles que considera, roubaram anos de sua vida.

Isso é comum em pessoas que saem de cultos/seitas de controle mental. É por isso, que as ex-TJ são tão ativas em fóruns como estes, em toda a parte do mundo. Elas têm necessidade de provar que não são loucas, não são más e que têm direito à sua dignidade enquanto humanos.

A questão que se coloca é: até quando vamos pertencer, participar e até mesmo vivenciar e partilhar estes sentimentos, nestes fóruns ou grupos?

1º Eu acredito, como já disse, que depende das motivações e dos objetivos. Há quem esteja aqui porque sente essa necessidade de desabafar, exprimir o que sente e partilhar a experiência de se sentir enganado. Ninguém gosta de se sentir sozinho, quando todos lhe viram as costas ou quando percebe que as suas anteriores crenças e modo de vida já nada lhe dizem.

2º Existem aqueles que já tendo passado por essa fase, decidem continuar a partilhar com outros aquilo que sabem, porque na sua ideia, darão um contributo em ajudar outros que estão "presos" e enredados neste sistema de crenças e controle, a sair dele ou a acordar para a realidade.

No primeiro caso, é natural que com o passar do tempo, tendo a pessoa se reconstruido e reconstruido a sua vida, fora dos muros da Organização, continuar a perpetuar essa experiência neste tipo de espaço, possa não ser o melhor para si, porque estará a alimentar essa experiência passada. É como se estivesse constantemente a reviver o passado, não se libertando dele.

Mas tudo depende das personalidades de cada um. Cada um é que deve sentir se chegou o tempo para deixar o passado para trás e prosseguir com a sua vida, ou se pelo contrário, ainda tem necessidade de estar com pessoas que passaram ou passam pelo mesmo.

Espero ter-me feito entender...







Parece-me uma boa abordagem a este assunto, pois as razões para "sair" do fórum, podem não ser as mesmas que nos levaram a participar nele. Não podemos generalizar, naturalmente, e também não pretendo pessoalizar, agora parece-me por razões de equilíbrio e boa razão que esse é um aspecto tão pessoal que cabe a cada um definir os seus critérios que são, pelo que referi, acima de qualquer apreciação subjectiva e muito menos razão para crítica.

mjp
Forista desativado

Mensagens : 6491
Likes : 223
Data de inscrição : 26/09/2011
Idade : 56
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Como um cristão encara Lucas 16:18?

Mensagem por MariaL em Sex Out 12 2012, 23:48

@TJ Curioso escreveu:
@MariaL escreveu:
TJ Curioso,

Também tu me fizeste pensar (ainda mais! Very Happy ).
Que relação podemos estabelecer entre o "tempo" e o facto de estarmos aqui? Queres explicar o que entendes por "quem deseja seguir com a sua vida e já resolveu na sua cabeça os assuntos relacionados com a sua anterior experiência na Org..."?

MariaL o que eu pretendi demonstrar, tendo como base a tua postagem, é que, como diz Salomão, "há um tempo para tudo".

Quando alguém se apercebe que viveu uma vida, não a sua, mas a de outros... aquilo que outros quiseram que ela fizesse, pensasse, etc., isso cria uma profunda frustação. Quando a pessoa fica desencatada com a realidade que experienciou até ao momento do "despertar", isso faz com que ela fique profundamente revoltada, angústiada e até mesmo deprimida.

Muitos recorrem a fóruns como estes na busca de apoio, compreensão e até mesmo amizade, porque todo esse mundo construído durante anos, deixa de existir num estalar de dedos.

A pessoa precisa reconstruir-se e reconstruir o seu mundo. Isso leva tempo. Leva tempo a deixar de ficar frustado, zangado e revoltado com aqueles que considera, roubaram anos de sua vida.

Isso é comum em pessoas que saem de cultos/seitas de controle mental. É por isso, que as ex-TJ são tão ativas em fóruns como estes, em toda a parte do mundo. Elas têm necessidade de provar que não são loucas, não são más e que têm direito à sua dignidade enquanto humanos.

A questão que se coloca é: até quando vamos pertencer, participar e até mesmo vivenciar e partilhar estes sentimentos, nestes fóruns ou grupos?

1º Eu acredito, como já disse, que depende das motivações e dos objetivos. Há quem esteja aqui porque sente essa necessidade de desabafar, exprimir o que sente e partilhar a experiência de se sentir enganado. Ninguém gosta de se sentir sozinho, quando todos lhe viram as costas ou quando percebe que as suas anteriores crenças e modo de vida já nada lhe dizem.

2º Existem aqueles que já tendo passado por essa fase, decidem continuar a partilhar com outros aquilo que sabem, porque na sua ideia, darão um contributo em ajudar outros que estão "presos" e enredados neste sistema de crenças e controle, a sair dele ou a acordar para a realidade.

No primeiro caso, é natural que com o passar do tempo, tendo a pessoa se reconstruido e reconstruido a sua vida, fora dos muros da Organização, continuar a perpetuar essa experiência neste tipo de espaço, possa não ser o melhor para si, porque estará a alimentar essa experiência passada. É como se estivesse constantemente a reviver o passado, não se libertando dele.

Mas tudo depende das personalidades de cada um. Cada um é que deve sentir se chegou o tempo para deixar o passado para trás e prosseguir com a sua vida, ou se pelo contrário, ainda tem necessidade de estar com pessoas que passaram ou passam pelo mesmo.

Espero ter-me feito entender...
Perfeito! aplausos


Não há pequenas coisas nem grandes coisas, todas são importantes. - Oscar Wilde

MariaL
Sócio APVIPRE
Sócio APVIPRE

Mensagens : 973
Likes : 83
Data de inscrição : 12/05/2012
Idade : 42
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Como um cristão encara Lucas 16:18?

Mensagem por Fidel Apostate em Sab Out 13 2012, 11:27

@TJ Curioso escreveu:
@MariaL escreveu:Às vezes penso que agora que encontrei algum equilíbrio interior deveria esquecer tudo isto e viver tranquilamente a minha vida. Alguém me disse hoje, que quando sair, deixará tudo para trás (não fará o que nos fazemos) porque isso significaria continuar a dar poder à Torre sobre a sua vida. Desculpem-me este desabafo... Embarassed hoje estou muito sentimental.

MariaL o "tempo" de deixar td para trás das costas depende muito da pessoa e também das suas motivações. Eu acredito que quem deseja seguir com a sua vida e já resolveu na sua cabeça os assuntos relacionados com a sua anterior experiência na Org, deve fazê-lo. Continuar poderá ser prejudicial para o seu "trauma" e não ajuda em nada.

Mas como digo, cada pessoa deve sentir quando esse momento chegou e ninguém deve ser criticado por isso.

Bom dia MariaL,

Como eu me revejo nas tuas palavras, esquecer tudo, viver a vida sem a Org. Ainda acontece também o contrário, estou a fazer bem, estou a fazer mal.
De facto a Org aprisionou-nos mentalmente de tal maneira, que muitas vezes ficamos simplesmente sem saber o que fazer, como pensar, como continuar a caminhar na vida. Com efeito cada um tem o seu passo, ou ritmo, mas para mim apesar desses momentos sei que o caminho que tomei não tem retorno.
Começo a saborear, agora sim, momentos de pura satisfação, alegria e felicidade, o encontro convosco foi um desses momentos, não sei o que me espera à frente, no entanto sinto que sou agora mais feliz. Estar aqui no forum tem sido libertador, partilhar com outros os meus sentimentos, aprender com os sentimentos de outros, com os teus por exemplo, tem sido muito bom partilhar isso convosco.
Tenho a certeza que o tempo também como bom conselheiro que é, trará outros horizontes, no entanto, é o meu desejo que esta fraternidade aqui conseguida se mantenha para a vida, sim fraternidade, como cristão entendo que o cristianismo é uma fraternidade, de homens, mulheres e crianças, juntos em sã convivência sem espartilhos a moldarem as suas vidas.
Por isso MariaL, obrigado pela tua partilha connosco dos teus sentimentos, que grande ajuda isso é para cada um de nós, principalmente os que ainda estamos dentro da Org presos de alguma forma.

Obrigado,
Fidel



"Os amigos da verdade são aqueles que a procuram e não os que se vangloriam de a ter encontrado." - Condorcet , Marie

Fidel Apostate
Membros
Membros

Mensagens : 839
Likes : 75
Data de inscrição : 01/08/2012
Idade : 50
Localização : Portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Como um cristão encara Lucas 16:18?

Mensagem por MariaL em Sab Out 13 2012, 15:05

@Fidel Apostate escreveu:

Bom dia MariaL,

Como eu me revejo nas tuas palavras, esquecer tudo, viver a vida sem a Org. Ainda acontece também o contrário, estou a fazer bem, estou a fazer mal.
De facto a Org aprisionou-nos mentalmente de tal maneira, que muitas vezes ficamos simplesmente sem saber o que fazer, como pensar, como continuar a caminhar na vida. Com efeito cada um tem o seu passo, ou ritmo, mas para mim apesar desses momentos sei que o caminho que tomei não tem retorno.
Começo a saborear, agora sim, momentos de pura satisfação, alegria e felicidade, o encontro convosco foi um desses momentos, não sei o que me espera à frente, no entanto sinto que sou agora mais feliz. Estar aqui no forum tem sido libertador, partilhar com outros os meus sentimentos, aprender com os sentimentos de outros, com os teus por exemplo, tem sido muito bom partilhar isso convosco.
Tenho a certeza que o tempo também como bom conselheiro que é, trará outros horizontes, no entanto, é o meu desejo que esta fraternidade aqui conseguida se mantenha para a vida, sim fraternidade, como cristão entendo que o cristianismo é uma fraternidade, de homens, mulheres e crianças, juntos em sã convivência sem espartilhos a moldarem as suas vidas.
Por isso MariaL, obrigado pela tua partilha connosco dos teus sentimentos, que grande ajuda isso é para cada um de nós, principalmente os que ainda estamos dentro da Org presos de alguma forma.

Obrigado,
Fidel

Estamos em sintonia. Smile
Abraço, Fidel.


Não há pequenas coisas nem grandes coisas, todas são importantes. - Oscar Wilde

MariaL
Sócio APVIPRE
Sócio APVIPRE

Mensagens : 973
Likes : 83
Data de inscrição : 12/05/2012
Idade : 42
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Como um cristão encara Lucas 16:18?

Mensagem por Índigo em Sab Out 13 2012, 21:36

@Fidel Apostate escreveu:

Como eu me revejo nas tuas palavras, esquecer tudo, viver a vida sem a Org. Ainda acontece também o contrário, estou a fazer bem, estou a fazer mal.
De facto a Org aprisionou-nos mentalmente de tal maneira, que muitas vezes ficamos simplesmente sem saber o que fazer, como pensar, como continuar a caminhar na vida.

Fidel

Gostava de partilhar estas palavras (alguns irão certamente reconhecê-las Very Happy )

"O monge e filósofo budista vietnamita, Thich Nhat Hanh, escreve sobre como apreciar uma boa chávena de chá.
Temos que estar totalmente despertos no presente para apreciar o chá. Apenas com a consciência no presente, as nossas mãos podem sentir o agradável calor da chávena. Apenas no presente podemos apreciar o aroma, sentir a doçura e saborear a delicadeza. Se estamos a ruminar sobre o passado ou preocupados com o futuro, perderemos por completo a experiência de apreciar a chávena de chá. Olharemos para a chávena, e o chá terá já terminado.

A vida é assim. Se não estamos totalmente no presente, quando olharmos à nossa volta este terá desaparecido. Teremos perdido a sensação, o aroma, a delicadeza e a beleza da vida. Parecerá ter passado a correr por nós.

O passado terminou. Aprendamos com ele e deixemo-lo ir. O futuro ainda não está aqui. Planeemos, sim, mas não gastemos o tempo a preocuparmo-nos com ele. A preocupação é uma perda de tempo. Quando pararmos de ruminar sobre o que já aconteceu, quando pararmos de nos preocuparmos com o que poderá nunca vir a acontecer, então estaremos no momento presente. Só então começaremos a experimentar a alegria de viver."

Índigo
Colaborador
Colaborador

Mensagens : 3348
Likes : 218
Data de inscrição : 07/05/2012
Localização : Norte

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Como um cristão encara Lucas 16:18?

Mensagem por Fidel Apostate em Dom Out 14 2012, 15:52

Desiludida escreveu:
@Fidel Apostate escreveu:

Como eu me revejo nas tuas palavras, esquecer tudo, viver a vida sem a Org. Ainda acontece também o contrário, estou a fazer bem, estou a fazer mal.
De facto a Org aprisionou-nos mentalmente de tal maneira, que muitas vezes ficamos simplesmente sem saber o que fazer, como pensar, como continuar a caminhar na vida.

Fidel

Gostava de partilhar estas palavras (alguns irão certamente reconhecê-las Very Happy )

"O monge e filósofo budista vietnamita, Thich Nhat Hanh, escreve sobre como apreciar uma boa chávena de chá.
Temos que estar totalmente despertos no presente para apreciar o chá. Apenas com a consciência no presente, as nossas mãos podem sentir o agradável calor da chávena. Apenas no presente podemos apreciar o aroma, sentir a doçura e saborear a delicadeza. Se estamos a ruminar sobre o passado ou preocupados com o futuro, perderemos por completo a experiência de apreciar a chávena de chá. Olharemos para a chávena, e o chá terá já terminado.

A vida é assim. Se não estamos totalmente no presente, quando olharmos à nossa volta este terá desaparecido. Teremos perdido a sensação, o aroma, a delicadeza e a beleza da vida. Parecerá ter passado a correr por nós.

O passado terminou. Aprendamos com ele e deixemo-lo ir. O futuro ainda não está aqui. Planeemos, sim, mas não gastemos o tempo a preocuparmo-nos com ele. A preocupação é uma perda de tempo. Quando pararmos de ruminar sobre o que já aconteceu, quando pararmos de nos preocuparmos com o que poderá nunca vir a acontecer, então estaremos no momento presente. Só então começaremos a experimentar a alegria de viver."

Obrigado por estas palavras Desiludida,

Certamente são um bom mote para saborear o chá que se nos apresenta neste momento. vamos pois saboreá-lo com sabedoria e alegria de viver.

Abraço,
Fidel



"Os amigos da verdade são aqueles que a procuram e não os que se vangloriam de a ter encontrado." - Condorcet , Marie

Fidel Apostate
Membros
Membros

Mensagens : 839
Likes : 75
Data de inscrição : 01/08/2012
Idade : 50
Localização : Portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Como um cristão encara Lucas 16:18?

Mensagem por hibridizado em Dom Out 14 2012, 16:07

Desiludida escreveu:
@Fidel Apostate escreveu:

Como eu me revejo nas tuas palavras, esquecer tudo, viver a vida sem a Org. Ainda acontece também o contrário, estou a fazer bem, estou a fazer mal.
De facto a Org aprisionou-nos mentalmente de tal maneira, que muitas vezes ficamos simplesmente sem saber o que fazer, como pensar, como continuar a caminhar na vida.

Fidel

Gostava de partilhar estas palavras (alguns irão certamente reconhecê-las Very Happy )

"O monge e filósofo budista vietnamita, Thich Nhat Hanh, escreve sobre como apreciar uma boa chávena de chá.
Temos que estar totalmente despertos no presente para apreciar o chá. Apenas com a consciência no presente, as nossas mãos podem sentir o agradável calor da chávena. Apenas no presente podemos apreciar o aroma, sentir a doçura e saborear a delicadeza. Se estamos a ruminar sobre o passado ou preocupados com o futuro, perderemos por completo a experiência de apreciar a chávena de chá. Olharemos para a chávena, e o chá terá já terminado.

A vida é assim. Se não estamos totalmente no presente, quando olharmos à nossa volta este terá desaparecido. Teremos perdido a sensação, o aroma, a delicadeza e a beleza da vida. Parecerá ter passado a correr por nós.

O passado terminou. Aprendamos com ele e deixemo-lo ir. O futuro ainda não está aqui. Planeemos, sim, mas não gastemos o tempo a preocuparmo-nos com ele. A preocupação é uma perda de tempo. Quando pararmos de ruminar sobre o que já aconteceu, quando pararmos de nos preocuparmos com o que poderá nunca vir a acontecer, então estaremos no momento presente. Só então começaremos a experimentar a alegria de viver."

Excelente! O futuro ainda não está aqui....

hibridizado

Mensagens : 359
Likes : 16
Data de inscrição : 28/04/2012
Idade : 61
Localização : Pasárgada

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Como um cristão encara Lucas 16:18?

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 22:21


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum