EX-TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
Seja muito Bem-vindo!

Regista-te aqui e descobre a verdade sobre a "verdade"

Lê as regras e respeita-as

Alguma duvida a Adm/Mod está pronta a ajudar.



"Quando aceitamos tudo o que a Organização diz sem verificar, mostramos confiança na Organização. Mas, se mantivermos um espírito atento e examinarmos 'quanto a se estas coisas são realmente assim' (Atos 17:11), então, mostramos zelo para com Jeová. Para quem você mostra zelo?"

Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por mjp em Sab Jul 12 2014, 14:11

@Filino Rupro escreveu:

Temos também de assumir enquanto hipótese, que a nossa existência, não tenha qualquer sentido e estejamos aqui por um sádico acaso!

Um sádico acaso! Nem mais. Retomo muitas vezes a esse ponto inicial sempre que sinto necessidades de ajustar complexidades posteriores. Como ponto de partida parece-me que é sempre um premissa intelectualmente honesta, indescartável e que não pode ser do ponto de vista estritamente racional, simplesmente desconsiderada.

mjp
Forista desativado

Mensagens : 6491
Likes : 223
Data de inscrição : 26/09/2011
Idade : 56
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por ellipsis em Sab Jul 12 2014, 14:33

@Índigo escreveu:Não acham que é presunção dos cristãos acharem que só eles irão pro céu?


Uns dizem que vão para o céu depois de morrer, mas ainda não vieram cá dizer como era.

Outros dizem que vão numa nuvem, só não me disseram de quantos lugares era esta nuvem.

Outros dizem que é limitado (144.000) só que perderam as contas e baralharam-se todos.

Pelos vistos a TAP também  consegue, mas mesmo assim tem de os trazer porque os reactores explodem,.....


 Morrer a rir Morrer a rir Morrer a rir Morrer a rir Morrer a rir Morrer a rir Morrer a rir Morrer a rir




Vamos trabalhar juntos para manter neste fórum um ambiente limpo e amigável. Boas postagens!


Admn sugere:
     
Respeite as regras do fórum e seja um bom membro.
Antes de criar um novo tópico faça uma pesquisa rápida.Podes começar por AQUI
Se perdeu a senha do fórum, contate um administrador por MP.


ellipsis
Admin
Admin

Mensagens : 8065
Likes : 275
Data de inscrição : 20/09/2011
Idade : 42
Localização : Vila de Cucujães

Ver perfil do usuário http://escravodaverdade.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por Investigando a Torre em Sab Jul 12 2014, 14:59

Eu gostava de ser o Governador do Banco Celestial!  Morrer a rir 

IT


Vamos trabalhar juntos para manter neste fórum um ambiente limpo e amigável. Bons comentários!

"Quem alberga a Verdade no seu coração, não deve temer que lhe falte força na língua e persuasão"
J. RUSKIN
«Stones of Venice», 11

Investigando a Torre
Admin
Admin

Mensagens : 8325
Likes : 307
Data de inscrição : 21/09/2011
Idade : 57
Localização : Vila Nova de Santo André

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por hocosi em Sab Jul 12 2014, 15:04

@Índigo escreveu:Não acham que é presunção dos cristãos acharem que só eles irão pro céu?


Essa questão é para mim muito importante quando se fala num Deus que salva e que não deseja que alguém seja destruído.

Uma pessoa que nasce na China provavelmente ela vai ser budista, xintoísta ou taoista. Se nascer em Israel provavelmente vai ser judeu. Se nascer num país muçulmano vai ser muçulmano mesmo que não acredite em nada do que lhe impingem. Até mesmo entre as Testemunhas de Jeová, como se costuma dizer, muitos nascem na "verdade".

Existem bilhões de pessoas que nunca ouviram falar de Jesus e se ouviram foi como um personagem que pregou uma doutrina igual a tantos outros. A pessoa tem a religião que foi imposta. Impedir estas pessoas de serem salvas é uma perfeita idiotice baseada apenas num critério animalesco.

Ir para o céu? Fazer o quê? Quem tem a sabedoria de dizer que A ou B foi ou irá para o céu? Já alguém mandou de lá alguma informação? A não ser os escritos dos livros do NT escritos sabe-se lá por quem e com que objetivos, que outras informações temos que nos garantam que esse é o destino dos cristãos. E que características especiais têm os cristãos que os torna mais dignos dos que outros de outras religiões?

Respondam-me por favor pois estou a ficar desesperado. Tenho uma vontade esquisita de que quando estou doente procurar um médico. Fico um pouco mais tranquilo porque vejo até mesmo padres e freiras fazerem o mesmo.



"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro. A real tragédia da vida são os adultos que têm medo da luz" . Platão

hocosi
Membros
Membros

Mensagens : 2576
Likes : 346
Data de inscrição : 28/12/2011
Idade : 61
Localização : Braga (Distrito)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por mjp em Sab Jul 12 2014, 15:42

@hocosi escreveu:
@Índigo escreveu:Não acham que é presunção dos cristãos acharem que só eles irão pro céu?


Essa questão é para mim muito importante quando se fala num Deus que salva e que não deseja que alguém seja destruído.

Uma pessoa que nasce na China provavelmente ela vai ser budista, xintoísta ou taoista. Se nascer em Israel provavelmente vai ser judeu. Se nascer num país muçulmano vai ser muçulmano mesmo que não acredite em nada do que lhe impingem. Até mesmo entre as Testemunhas de Jeová, como se costuma dizer, muitos nascem na "verdade".

Existem bilhões de pessoas que nunca ouviram falar de Jesus e se ouviram foi como um personagem que pregou uma doutrina igual a tantos outros. A pessoa tem a religião que foi imposta. Impedir estas pessoas de serem salvas é uma perfeita idiotice baseada apenas num critério animalesco.  

Ir para o céu? Fazer o quê? Quem tem a sabedoria de dizer que A ou B foi ou irá para o céu? Já alguém mandou de lá alguma informação? A não ser os escritos dos livros do NT escritos sabe-se lá por quem e com que objetivos, que outras informações temos que nos garantam que esse é o destino dos cristãos. E que características especiais têm os cristãos que os torna mais dignos dos que outros de outras religiões?

Respondam-me por favor pois estou a ficar desesperado. Tenho uma vontade esquisita de que quando estou doente procurar um médico. Fico um pouco mais tranquilo porque vejo até mesmo padres e freiras fazerem o mesmo.

Eu, a ti, meu caro hocosi, percebo-te melhor que possas pensar... estou eu em crer...

Eu não encontrei jamais, em tempo algum da minha curta/longa existência, melhor médico para lidar com as dúvidas que nalguns "privilegiados" seres provocam uma sede insaciável de respostas, que não fosse dentro de mim... e junto daqueles que como eu também nasceram assim "privilegiados" - uns ateus, outros agnósicos e outros crentes, - irmos partilhando tudo o que entretanto vamos pensando, lendo, descobrido e sem reservas de qualquer espécie, irmos construindo o nosso "edifício" de coerências, na argamassa das insanáveis incoêrencias a que todos nós estamos sujeitos e irremediavelmente limitados.

Nessas partilhas, tantas vezes de pura razão intelectual, se misturam pedaços dos nossos "eus" emocionais; ainda por cima, no meu caso, eu arrasto em mim outros "eus" que consciencializo, mas nos quais aprendi a mandar. Mas a angústia não tem de ser o resultado final, meu caro hocosi. Não tem, nem deve, nem é desejável que o seja. A angustia é um "medo" da precaridade destes equilíbrios em que todos procuramos uma razão para aqui estarmos, neste ponto minúsculo do espaço, num ínfimo espaço do tempo, em que como acima foi mencionado, sempre pendendo sobre nós a espada de Dâmocles da franca possibilidade racional de tudo não passar de um sádico cósmico acaso.

E é com o meu "eu" da humildade que te escrevo este comentário, já que na maioria esmagadora das vezes, aqui, tenho de mandar entrar em cena alguns dos meus outros "eus", visto raríssimas serem as vezes que me dão a oportunidade para que eu possa deixar-me conhecer um pouquinho melhor. E é com este tal "eu" da humildade que termino este meu comentário que te dirijo, dizendo-te: esquece tudo! Esquece de forma consciente, naturalmente. Dá-te um novo começo em todos os campos que sintas necessidade para tal. E usa e abusa daqueles que antes de ti já percorrem esse caminho. Eles estão lá à espera que os oiçam nos seus gritos de fantástica lucidez, para partilharem aquilo que pensaram e perceberam e descobriram. Absorve-os na tua estrutura mental e emocional; lê-os, não para te descobrires, mas para os descobrires... e troca os teus pensamentos com os deles, caso não tenhas como eu a felicidade de teres outros que estão vivos e perto de ti e que te deixem percebe-los para que tu os percebas e eles te percebam e juntos descubram algumas respostas, mas só as suficientes. Depois, o médico, neste caso, só podes ser tu e a tua lucidez, seja ela qual for a este respeito. Na tua lucidez descobrirás paz; e a paz e o amor... já são um caminho suficientemente recorfortante, quer eles te conduzam a Deus ou simplesmente aos outros que te quiserem receber.

E se em absoluta honestidade interior, não fechares  a porta a nenhuma possibilidade... eu não sou teólogo nem nada de parecido, mas o único Deus que faz sentido, não te deixará em dores insuportáveis; tenho nisso uma das minhas muito poucas certezas na vida.

Um abraço

mjp

mjp
Forista desativado

Mensagens : 6491
Likes : 223
Data de inscrição : 26/09/2011
Idade : 56
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por hocosi em Sab Jul 12 2014, 17:10

@mjp escreveu:  Eu, a ti, meu caro hocosi, percebo-te melhor que possas pensar... estou eu em crer...

Eu não encontrei jamais, em tempo algum da minha curta/longa existência, melhor médico para lidar com as dúvidas que nalguns "privilegiados" seres provocam uma sede insaciável de respostas, que não fosse dentro de mim... e junto daqueles que como eu também nasceram assim "privilegiados" - uns ateus, outros agnósicos e outros crentes, - irmos partilhando tudo o que entretanto vamos pensando, lendo, descobrido e sem reservas de qualquer espécie, irmos construindo o nosso "edifício" de coerências, na argamassa das insanáveis incoêrencias a que todos nós estamos sujeitos e irremediavelmente limitados.

... e troca os teus pensamentos com os deles, caso não tenhas como eu a felicidade de teres outros que estão vivos e perto de ti e que te deixem percebe-los para que tu os percebas e eles te percebam e juntos descubram algumas respostas, mas só as suficientes. Depois, o médico, neste caso, só podes ser tu e a tua lucidez, seja ela qual for a este respeito. Na tua lucidez descobrirás paz; e a paz e o amor... já são um caminho suficientemente recorfortante, quer eles te conduzam a Deus ou simplesmente aos outros que te quiserem receber.

E se em absoluta honestidade interior, não fechares  a porta a nenhuma possibilidade... eu não sou teólogo nem nada de parecido, mas o único Deus que faz sentido, não te deixará em dores insuportáveis; tenho nisso uma das minhas muito poucas certezas na vida.

Um abraço

mjp

Quero agradecer-te a gentileza de procurares de alguma maneira redirecionares os meus pensamentos. Não vou negar que uma certa angústia
me invade os ossos por após 58 anos ficar cada vez mais consciente da realidade da vida atual. É bom ter certezas, mas as certezas de hoje serão as dúvidas de amanhã até que o pó retorne à terra.

"Queremos ter certezas e não dúvidas, resultados e não experiências, mas nem mesmo percebemos que as certezas só podem surgir através das dúvidas e os resultados somente através das experiências."

Neste sentido concordo contigo em que dialogar com outros podemos "juntos descubram algumas respostas, mas só as suficientes". Mas até hoje dos diálogos e das experiências sempre esbarrei numa coisa chamada fé. Isso eu não tenho.

Um abraço,
hocosi



"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro. A real tragédia da vida são os adultos que têm medo da luz" . Platão

hocosi
Membros
Membros

Mensagens : 2576
Likes : 346
Data de inscrição : 28/12/2011
Idade : 61
Localização : Braga (Distrito)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por mjp em Sab Jul 12 2014, 18:47

@hocosi escreveu:
@mjp escreveu:  Eu, a ti, meu caro hocosi, percebo-te melhor que possas pensar... estou eu em crer...

Eu não encontrei jamais, em tempo algum da minha curta/longa existência, melhor médico para lidar com as dúvidas que nalguns "privilegiados" seres provocam uma sede insaciável de respostas, que não fosse dentro de mim... e junto daqueles que como eu também nasceram assim "privilegiados" - uns ateus, outros agnósicos e outros crentes, - irmos partilhando tudo o que entretanto vamos pensando, lendo, descobrido e sem reservas de qualquer espécie, irmos construindo o nosso "edifício" de coerências, na argamassa das insanáveis incoêrencias a que todos nós estamos sujeitos e irremediavelmente limitados.

... e troca os teus pensamentos com os deles, caso não tenhas como eu a felicidade de teres outros que estão vivos e perto de ti e que te deixem percebe-los para que tu os percebas e eles te percebam e juntos descubram algumas respostas, mas só as suficientes. Depois, o médico, neste caso, só podes ser tu e a tua lucidez, seja ela qual for a este respeito. Na tua lucidez descobrirás paz; e a paz e o amor... já são um caminho suficientemente recorfortante, quer eles te conduzam a Deus ou simplesmente aos outros que te quiserem receber.

E se em absoluta honestidade interior, não fechares  a porta a nenhuma possibilidade... eu não sou teólogo nem nada de parecido, mas o único Deus que faz sentido, não te deixará em dores insuportáveis; tenho nisso uma das minhas muito poucas certezas na vida.

Um abraço

mjp

Quero agradecer-te a gentileza de procurares de alguma maneira redirecionares os meus pensamentos. Não vou negar que uma certa angústia
me invade os ossos por após 58 anos ficar cada vez mais consciente da realidade da vida atual. É bom ter certezas, mas as certezas de hoje serão as dúvidas de amanhã até que o pó retorne à terra.

"Queremos ter certezas e não dúvidas, resultados e não experiências, mas nem mesmo percebemos que as certezas só podem surgir através das dúvidas e os resultados somente através das experiências."

Neste sentido concordo contigo em que dialogar com outros podemos "juntos descubram algumas respostas, mas só as suficientes". Mas até hoje dos diálogos e das experiências sempre esbarrei numa coisa chamada fé. Isso eu não tenho.

Um abraço,
hocosi

Ok. Percebi o que disseste e cada vez mais fico com aquela sensação/ideia que, para ti, seria necessário substituir uma qualquer certeza que tiveste como alicerce de vida, por uma outra certeza qualquer que teimas ( sem ofensa) em chamar fé ou "fé" ou outra coisa qualquer do género.

Mas nem por uma vez eu mencionei a fé como condição necessária para começar ou recomeçar um caminho em direcção ao que pensas que possam ser as suficientes certezas para (re)despertares para uma vida em que as "angústias" estão postas no seu devido lugar e que, após isso, fiques com o caminho "livre" para outras abordagens aos assuntos que considerares serem importantes para a construção do tal "edifício".

Eu já aqui, pelo menos uma vez, referi que, por exemplo, eu quando consciencializei que estava fora da seita, passei por um período ainda considerável de tempo (anos, à volta de dez) em que não vi opção mais inteligente que não fosse um "encolher de ombros", quero lá saber, tenho a consciência tranquila e Ele que sabe disso.

Repara que quando eu digo: "e Ele sabe disso",( em função do meu eu e do meu  perceber e do meu sentir, que a mais ninguém pode ser obrigado, nem por Ele ) é mais para mim que estou a falar, mas nunca fechando a hipótese de Ele saber, mesmo.

A questão da fé ( sem aspas) é muitíssimo controversa e definições técncas valem o pouco que valem. Valem sim, mas não num determinado momento.

O que eu me tenho interrogado desde muito cedo, desde que vos conheci, independentemente do meu percurso pessoal e, acredita, eu sei mesmo sair de mim e perceber muita coisa que eu não sou nem penso nem sinto, era se: primeiro, algum dia souberam mesmo o que significa ter fé. Segundo, se algum dia se aperceberam que Deus ( caso exista) em nada pode ser responsabilizado por aquilo que quem quer que seja ( Papa ou Corpo Governante, etc, etc, etc.) façam, digam, ensinem ou enganem. Terceiro, caso tenham ou não tenham tido essa consciência plena ou mesmo mitigada, porque razão tombam todos, grandes e pequenos, nascidos ou criados, tendo entrado ainda jovens ou mais adultos, para o lado da negação, que não é a negação do tal "esquecimento consciente" de um período de vida sinificativo e infelizmente, negativamente marcante, mas que é a negação que cai na "oposição" a qualquer coisa que possa fazer-vos lembrar um período negativo das vossas vidas?

Eu muitas vezes viro costas a este fórum, exactamente por que cansa perceber que tudo o que aqui se comenta ( excepto algumas pálidas e tímidas mas honrosas excepções) é o reflexo não de uma acção pensada e consciente ( já tinha nesse caso desaparecido de vez) mas de uma reacção a um qualquer "fantasma" com o qual a esmagadora maioria entrou na tal "oposição". Quase nada aqui é construtivo. Até a própria "oposição" à STV extravasa de uma forma quase ofensiva ( quase, que hoje estou simpático) aqueles que nada querem com ela mas que não rejeitam a possibilidade de Deus. E as palavras muito bonitas com que alguns querem dissimular essa realidade, é logo contradita no tópico seguinte desde que se abra uma pequena possibilidade... e muitas vezes nem esperam por ela; metem a martelo, não vá haver espaço para qualquer dúvida que abra caminho aos "fantasmas".

Enquanto assim pensarem ( sem pensar) e sentirem ( sem saber porque sentem),até a possibilidade de serem felizes sem Deus cortam em significativa medida, sem disso se aperceberem. Como uma vez comentei em conversa particular, as TJ voltaram a entrar na minha vida pela mão dos ex-TJ, e eu de fundamentalismos anti seja o que for, estou farto, no sentido em que em nada fazem sentido. Viver em oposição pela oposição, é por definição viver na sombra de algo e não na afirmação de alguma coisa, na construção consciente de um qualquer paradigma de felicidade, com Deus ou sem Ele, no agnosticismo ou no ateísmo.

Mas para que se viva na construção consciente e empenhada de alguma coisa, é preciso ter-se coragem, e não dizer ( que ninguém com dois dedos de testa cai nessa) que se é feliz só porque se saiu da STV e agora podem "fazer aquilo que quiserem". Continuam na sombra de algo a que se opõem, conscientemente ou inconscientemente e bem podem vir aqui dizer que eu estou "maluco", que cada comentário que aqui é feito nas redondezas do tema em questão, vos desmente perante qualquer pessoa com capacidade de perceber e ler nas entrelinhas.

Em que é que isto te pode ajudar, meu caro hocosi? Dependerá sempre da tua arte e da tua coragem de equilibrares o que por natureza nunca pode ser equilibrado sem esforço, e deixares de vez essa ideia um bocadinho primária, ingénua e pueril que só se acredita naquilo que se vê e que jamais se consegue ter a certeza de coisa alguma. Mas então, se essa é a verdade pela qual pugnam aqui a grande parte dos foristas e da administração, e se felicidade é, como aqui tantas vezes leio, estarem livres para "aproveitarem a vida ao máximo", qual é o propósito deste fórum e desta oposição à STV? Não terão os que lá estão dentro o mesmo direito que vós, de entenderem que é lá que querem viver? Será que eles ainda não sabem aquilo nós sabemos? Ou será que nós aqui é que fomos muito espertinhos e corajosos e que ao descobrimos o que está por detrás da cortina, queremos agora ir iluminar os ceguinhos, para lhes mostrar o caminho? Mas que caminho? O vosso? Mas se vós não tendes certezas, como sabeis que eles aceitarão a vossa dúvida pela dúvida? Ou trata-se então de uma qualquer forma de vingança pessoal?

Como eu não sinto a mínima vocação para viver na "negação" seja do que for, acabo por não perceber, então, qual a razão desta verdadeira confusão de conceitos, valores, e mais mil etcs.,  que nada mais visam que a existência de um fórum que se define na sua essência pelo ser anti. Por mim, nada contra... mas que vos retira a legitimidade para venderem a ideia que este fórum existe para "ajudar" as pessoas que estão dentro da STV e na mesma medida vos retira a legitimidade de entendenderem que querem certezas... para mim, resulta claro, transparente e cristalino como a água das nascentes.

Enfim, se de revolta se trata, então nada como se revoltarem contra o sádico acaso cósmico que nos pariu, pois se Deus não existe, então não pode ser culpado... ou querem lá ver que Ele agora é culpado por não existir?

Deve ser muito difícil alguém conseguir ser feliz assim... e das duas uma: ou se é por natureza uma pessoa que se sente feliz sem grandes questões e formulações sobre a vida e chega a casa, e desde que tenha a "açorda completa" já é feliz, ou então o melhor é, como aqui também já aqui disse há muito tempo - não há felicidade que não dê um trabalhão e, crentes ou ateus ou agnósticos, para além da "açorda completa" que a muitos bastará, têm mesmo de olhar de frente todos estes desafios e viver com os "edifícios" equilibrados no esforço da procura da matéria prima que pode dar-lhe algum sentido.

Outra questão é que para alguns, da "açorda completa" faz parte um ego inchado.

Um abraço

mjp

mjp
Forista desativado

Mensagens : 6491
Likes : 223
Data de inscrição : 26/09/2011
Idade : 56
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por Kristy123 em Seg Abr 20 2015, 15:28

Castas religiosas entre as Testemunhas de Jeová

Com o título “Os cristãos e as Castas” a revista DESPERTAI! De 08 de março de 1998, p. 22 faz a seguinte indagação:
“O que diria se soubesse que o sistema de castas é praticado até por religiões que afirmam ser cristãs?”

A revista naturalmente está criticando o sistema de castas no hinduísmo adiantando que o governo indiano está tentando eliminar esse sistema de submissão social incorporado à religião.

Como sabemos, o hinduísmo admite a doutrina da reencarnação, segundo a qual o retorno a esta vida, dentro da lei do carma, se efetiva por aquilo que a pessoa fez em vida anterior. É a conhecida lei da causa e efeito. Todas as ações tem suas reações positivas ou negativas para a vida seguinte da alma transmigrada.

Assim, dentro da sociedade indiana, existem quatro castas ou classes sociais resultantes do ensino religioso predominante. As castas ou classes sociais são: a mais elevada – a casta dos brâmanes – que pertence ao nível sacerdotal: a Segunda casta é a dos xátrias – a classe dos profissionais, governantes e guerreiros; o terceiro grupo é a dos vaícias – a casta dos mercadores e fazendeiros e a Quarta classe – a dos sudras – a que pertencem os trabalhadores. É a mais baixa das quatro castas. E poderíamos dizer que existe uma última casta, que nem pode ser considerada casta: é a dos intocáveis. Se pudesse ser considerada casta, seria ela a pior das castas. Os intocáveis vivem à margem da sociedade, precisando separar a água suja da limpa para poder beber água. O trabalho desta pessoas inclui cuidar das carcaças dos animais, pescar nos ágapes e realizar serviços pesados, diz o jornal: “A Tribuna” de 8 de fevereiro de 1998,p. B7, acrescentando a notícia, “Índia enfrenta lutas violentas para pôr fim a castas sociais”. Prossegue o Jornal: “Mais de 300 pessoas já morreram nos últimos dois anos na guerra das castas”. Essas lutas surgiram a partir de 1947 quando foi promulgada a Constituição na Índia. Na Constituição foi abolida a divisão de classes, tornando-se crime propagar e manter essa discriminação de castas.


AS DUAS CASTAS DA STV – “OS UNGIDOS” E AS “OUTRAS OVELHAS
Enquanto o governo indiano procura abolir o sistema de castas sociais, mesmo que a abolição do sistema motive até lutas que resultam em mortes, surge uma religião que se arvora em ser o autêntico cristianismo , e indo mais longe, se coloca como a única religião verdadeira, procura ressaltar a distinção de classes ou castas dentro do seu ensino religioso.

O amigo leitor já perguntou às testemunhas de Jeová que batem à sua porta se tem esperança celestial? Obtém delas uma resposta enfática: “Eu, ir para o céu ?” e continuam “Quem sou eu?” E vai mais além, afirmando, “O céu é um lugar exclusivo para 144.000, que são os ungidos. Eu sou de uma classe que não vai viver no céu, mas vai viver no paraíso terrestre.” Quem é o responsável por este absurdo pretendendo apoiar-se na Bíblia? Afirmar que ela aponta duas classes, cristãos de primeira classe (os ungidos) e cristãos de Segunda classe (os da Grande Multidão ou Outras Ovelhas) com esperanças distintas?
É o corpo governante das testemunhas de Jeová sediado nos Estados Unidos.

Dizem eles que receberam orientação e direção teocráticas na sua sede em Nova Iorque, Estados Unidos.


QUANDO TUDO COMEÇOU
“Até meados do primeiro semestre de 1935, as testemunhas dedicadas e batizadas de Jeová de boa fé haviam tido a “uma só esperança” que lhes é apresentada em Efésios 4.4,6 como segue: “Há um só corpo e um só espírito, assim como também fostes chamados em uma só esperança e que fosses chamados: um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos.” Mas naquele ano memorável de 1935, no congresso realizado em Washington, D.C. identificou-se a “grande multidão”, conforme visualizada em Revelação 7.9-17, como estando composta das ‘outras ovelhas’ do Pastor Excelente, mencionadas em João 10.16.” (A Sentinela, 15-3-1983, p. 19/7). Imagine a autoridade desse corpo governante: altera a Bíblia a partir de 1935 porque o seu presidente de então – J. F. Rutherford – teve uma revelação nesse sentido de que, ao invés de haver uma só esperança, haviam duas esperanças: uma celestial e outra terrena.

Quando alguém erroneamente orientado alega não querer ir para o céu, mas que quer viver na terra, que se tornará futuramente um paraíso, ainda não é problema principal. Costuma-se dizer: “Gosto não se discute”.


NÃO PERTENCEM A CRISTO
E é na verdade: “gosto não se discute”. Mas, quando alguém perde não só o céu (Mt 23.13) mas não tem qualquer relacionamento com Cristo, por pertencer a uma classe terrena, então esse ensino deve ser tido como herético, ensino de perdição (2 Pe 2.1). Separados de Cristo, estão cerca de cinco milhões de testemunhas de Jeová na terra que pertencem a essa casta das “outras ovelhas”. Estão completamente perdidas. É o que diz Paulo, “Examinai-vos a vós mesmo se realmente estais na fé: provai-vos a vós mesmos. Ou não reconheceis que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados”. (2 Co 13.5).

Pergunte para as testemunhas de Jeová responderem: “Quem são os que pertencem a Cristo?” e elas responderão: “Os que pertencem a Cristo são os 144.000 discípulos fiéis escolhidos para dominarem com ele no Reino”. (Poderá Viver…, p. 172/20) . Isso é repetido frequentemente pelas testemunhas de Jeová para que elas nunca venham pretender ocupar cargos de liderança na sede mundial em Nova Iorque. Ali impera o abuso de poder e ainda agora repetem: “Esta grande multidão foi reconhecida em 1935, e hoje ascende a mais de cinco milhões.” (A Sentinela de 1-2-1998, p. 18/2)


ESTÃO SEM MEDIADOR
Incrível como alguém que manuseia uma Bíblia e se diz cristão, pode aceitar um ensino que o coloca sem mediador por ser Jesus o mediador exclusivo de 144.000 ungidos. É o que se lê no ensino das testemunhas de Jeová, na Coluna dos Leitores da Revista A Sentinela. (A Sentinela, 15-9-1979, p.32).

Pergunta: “Será que Jesus é ‘mediador’ só dos cristãos ungidos?”

Resposta: “De modo que, em estrito sentido bíblico, Jesus é o ‘mediador’ apenas dos cristãos ungidos.”

Para que não paire dúvida sobre essa situação da casta das “outras ovelhas” de que estão sem mediador, tem o corpo governante, que publica a literatura da sociedade, o desplante de alterar o texto bíblico de 1 Tm 2.5. vejamos como está redigido o texto: “Então, qual é o papel de Cristo neste programa de salvação?

Paulo passou a dizer: ‘Há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens (não todos os homens) , um homem, Cristo Jesus, o qual se entregou como resgate correspondente por todos.” (A Sentinela, 15-6-1980, p.25

Por que não todos os homens? Porque só 144.000 ocupam esse lugar de mediadores entre Jesus e as outras ovelhas. Jesus é o mediador dos 144.000 e os 144.000 por sua vez são substitutos de Cristo para as outras ovelhas (II Co 5.20 – TNM – “Somos, portanto, embaixadores, substituindo a Cristo, como se Deus instasse por nosso intermédio. Rogamos, como substitutos de Cristo: ‘Sede reconciliados com Deus’” .
Sendo assim, nenhum dos cinco milhões tem qualquer relacionamento com Cristo, mas apenas com os ungidos.


NÃO PARTICIPAM DA REFEIÇÃO NOTURNA
Ora, não tendo Jesus como mediador, e, dado que Jesus é o mediador do novo pacto selado com seu sangue (Mt 26.26-28; I Co 11.23-26), a casta das “Outras Ovelhas” não participam da refeição noturna (Ceia do Senhor ) , sendo apenas observadores, que repartem para si mesmos, cada vez que se lhes passam, os emblemas da refeição noturna:
“Não sou digno” e, passando os emblemas aos demais, repetem também, automaticamente, a mesma frase, decorada e ensinada pela casta superior dos “Ungidos”.

Ensinam as Testemunhas: “Apenas os 144.000 membros do Israel de Deus têm corretamente participação dos emblemas durante a Comemoração da morte de Jesus, e foi somente com eles que Jesus fez o seu pacto para um Reino… .
Os membros da grande multidão não participam neste novo pacto.” (A Sentinela 1-2-1998, p.19/3).


NÃO SÃO FILHOS ESPIRITUAIS DE DEUS
Que tipo de cristianismo é esse, que rouba até a condição de sermos filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo?
É tão óbvio esse fato de se tornar filho de Deus pela aceitação de Jesus como Salvador, que qualquer cristão menos informado não ignora a realidade, de que se torna filho de Deus quem aceita a Jesus como Salvador pessoal.
(Jo 1.12: I Jo 3.1-3; 5.1).

As Testemunhas lêem tudo isso na Bíblia e apregoam que todas essas promessas são exclusivas para a casta dos “Ungidos”. Isso é o que se lê na literatura publicada pela Torre da Vigia.

Dizem: “Antes de adotá-los como seus filhos por meio de Jesus Cristo, Jeová sujeitará todos esses humanos aperfeiçoados a uma última prova cabal” (Unidos Na Adoração do Único Deus Verdadeiro, p. 191/16). Como sabemos, essa última prova cabal, segundo as Testemunhas, ocorrerá no final dos mil anos do reinado de Cristo. Só depois que passarem pela última prova é que poderão arrogar para si a condição de filhos de Deus. Por enquanto, são apenas criaturas naturais, sendo guiadas pelo príncipe da potestade do ar, que orienta os que ainda não se tornaram filhos de Deus (Ef 2.1-3).

Triste sorte a das Testemunhas de Jeová da segunda classe, e das “Outras Ovelhas”, ou da “Grande Multidão”.


SEM JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ
Nem a isso tem direito a classe das “Outras Ovelhas”. Está excluída da justificação pela fé apontada por Paulo em Rm 5.1, para todos os cristãos.

Ensinam as Testemunhas: “Por isso não serão nem agora nem então justificadas ou declaradas justas assim como os 144.000 os herdeiros celestiais foram justificados enquanto na carne. Os da “grande multidão” não sofrerão uma mudança na natureza humana para a espiritual e por isso não precisam de justificação pela fé e dá imputação de justiça necessitadas pelos 144.000 escolhidos”(Vida Eterna – Na Liberdade dos Filhos de Deus, p. 380/22).


CONCLUSÃO
Perguntamos às Testemunhas de Jeová que pertencem à casta inferior das “Outras Ovelhas”, também conhecida como os da “Grande Multidão”:

Como a pessoa se sente ao ser tratada como cristão de segunda classe?
Como aceitar essa condição de inferioridade, se em Gl 3.27,28 Paulo afirma:
“Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus; porque todos quantos fostes batizados em Cristo, de Cristo vos revestistes. Destarte não pode haver judeu nem grego; nem escrevo nem liberto; nem homem nem mulher, porque todos vós sois um em Cristo Jesus” .

“Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma cousa, e que não haja entre vós divisões; antes sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer.”(I Co 1.10).

Isso é cristianismo bíblico autêntico, e não essa invenção de duas castas, ou classes, imaginadas por um homem que, toda a vez que disse ter falado proféticamente da parte de Deus, falhou flagrantemente nessa questão por não ver suas profecias cumpridas (Dt 18.20-22; Mt 7.15-16).

Quem já não leu o livro “Milhões Que Agora Vivem Jamais Morrerão”? Quem tomou conhecimento da ressurreição dos patriarcas Abraão, Isaque e Jacó, que deveriam reinar a partir de 1925 na Terra, com governo centralizado em San Diego, Estados Unidos, diretamente da Casa Bet Sharim? Os príncipes não vieram ressuscitados, e nela viveu nababescamente o próprio autor da falsa profecia.

Foi esse homem, Rutherford, que criou as duas castas religiosas entre as Testemunhas de Jeová e que, contrário ao que aconteceu com a Constituição Indiana, que procurou tornar crime a distinção de castas , entre as Testemunhas de Jeová cada vez mais se acentua a divisão de castas religiosas entre os privilegiados “Ungidos” e os párias: “Outras Ovelhas”.

Fonte: http://www.cacp.org.br/castas-religiosas-entre-as-testemunhas-de-jeova/


Última edição por Kristy123 em Seg Abr 20 2015, 19:36, editado 1 vez(es)

Kristy123
Moderador
Moderador

Mensagens : 4023
Likes : 222
Data de inscrição : 15/10/2013
Idade : 97
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por Maer em Seg Abr 20 2015, 17:19

A Bíblia dá margem para as duas perspectivas.No VT encontramos várias referências que levam à crença em um paraíso terrestre, haja vista este ser o propósito original.Todavia no NT há citações diretas relacionadas à  perspectiva celestial.Mas alguns textos que também apoiam um paraíso terrestre.Enfim cada um adota o conceito que melhor lhe convém.
Embora haja diferentes classes entre os anjos, não costumamos considerar um inferior ao outro.Isso significa que numa hierarquia, não necessariamente os governados são inferiores aos governantes.Será que alguém diria que a esposa é inferior ao marido?Pois o arranjo do matrimônio a coloca numa condição de submissão, o marido é o governante da casa.Mas nem por isso a esposa é inferior.
Eu quero dizer com isso é que  o fato de as outras ovelhas não fazerem parte da parte da classe governante, não significa que sejam inferiores para Deus.O texto acima é muito tendencioso , desonesto e não merece crédito.É uma afronta à capacidade cognitiva das pessoas. Se quer falar mal que fale, vivemos uma democracia, mas por favor não inventem, não manipulem os menos capazes cognitivamente.




Maer
Membros
Membros

Mensagens : 244
Likes : 8
Data de inscrição : 30/03/2012
Idade : 46
Localização : rio de janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por Kristy123 em Seg Abr 20 2015, 17:45

Maer,

Compreendo o seu ponto de vista e de dizer que este texto é muito tendencioso....
tal como as publicações da STV também o podem ser....  


O que lhe parece este? :  

SERÁ QUE O NOVO PACTO É APENAS PARA UM GRUPO DE 144.000 PESSOAS?
15 Perguntas para Fazer às Testemunhas de Jeová sobre os 144.000 e a Grande Multidão

De todos os assuntos doutrinais que alguém pode discutir com as Testemunhas de Jeová, nada é mais essencial do que a identidade de Jesus Cristo e os assuntos relacionados com a salvação e a vida eterna. As Testemunhas de Jeová têm um sistema de salvação de duas classes, nas quais elas dividem os seus seguidores em dois grupos. Elas chamam o primeiro grupo de “pequeno rebanho” e o limitam a 144.000 membros e chamam ao segundo grupo de “grande multidão”, que está aberta ao restante da população da humanidade. Quando examinamos o que elas crêem sobre este sistema de salvação de duas classes, é que descobrimos o grande buraco na teologia da Torre de Vigia, porque não existe uma única escritura que apoie a sua visão singular sobre este assunto.

As Testemunhas de Jeová acreditam que todos os privilégios associados com o Novo Pacto, pertencem apenas ao primeiro grupo de 144.000 pessoas. É afirmado que a maioria dos seguidores neste primeiro grupo (com algumas poucas excepções), foram seleccionados entre Pentecostes 33 A.D. e o ano de 1935. 1. Os privilégios do Novo Pacto dados a este grupo de 144.000, incluem a capacidade de nascerem de novo, de serem adotados espiritualmente na família de Deus, de serem capazes de se aproximarem de Jesus como seu “Mediador” pessoal (entre eles e Deus), a possibilidade de participar na Refeição Nocturna do Senhor (Ceia do Senhor), e a esperança de ressurreição para a vida no céu.

Visto que à maioria das Testemunhas de Jeová, é-lhes dito hoje em dia que elas não pertencem a este grupo de 144.000, a maioria considera-se membros do segundo grupo, a “grande multidão”. Elas não acreditam que os privilégios do Novo Pacto se apliquem a elas. Antes, é ensinado a verem a Mediação entre Jesus e os 144.000 como tendo apenas dois benefícios para elas — nomeadamente, o perdão de pecados e a oportunidade de se aproximarem a Deus em oração. Assim, a maioria das pessoas deste segundo grupo, se contentam a considerar a ressurreição para a vida na terra debaixo do governo de Jesus Cristo e do Seu “pequeno rebanho” de 144.000, como o mais alto nível espiritual a que podem almejar.

Qualquer pessoa pode ver como a visão da salvação através deste sistema de duas classes, resulta em que maioria das Testemunhas de Jeová desvalorize a maioria das promessas do Novo Pacto dadas na Bíblia. Isto cria um sério problema, porque a Bíblia é muito clara, mostrando que se alguém se exclui do Novo Pacto, ele exclui a si próprio da vida eterna e coloca-se para além do perdão salvador oferecido pelo sangue de Cristo. Usando as seguintes questões e textos alistado a seguir, alguém pode facilmente demonstrar a uma Testemunha de Jeová a seriedade dos seus entendimentos espirituais sobre o sistema de salvação de duas classes:

15 PERGUNTAS A FAZER ÀS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ SOBRE OS 144.000 E A GRANDE MULTIDÃO

1.  Onde na Bíblia afirma que apenas os 144.000 são as ÚNICAS pessoas que estarão no céu?

Revelação 7:3-8 e Revelação 14:1-5 são as ÚNICAS duas passagens na Bíblia que mencionam os 144.000. Enquanto Revelação 14:3 descreve os 144.000 como estando diante do trono de Deus no céu, as Testemunhas de Jeová têm dificuldade em provar a partir deste versículo, que este grupo é o ÚNICO grupo de pessoas no céu, porque a Bíblia NUNCA diz isso. Por fazer a pergunta acima, você irá ajudá-las a perceber que a Torre de Vigia construiu uma inteira teologia sem NENHUM apoio bíblico! Para ainda enfatizar mais esse ponto, quando elas apelarem para estas ou outras escrituras, de modo a tentar apoiar as suas crenças sobre o sistema de salvação de duas classes, continue repetindo a pergunta acima. Os exemplos dados a seguir, irão ajudá-lo a responder às suas objeções mais comuns:

•1ª OBJEÇÃO: As Testemunhas de Jeová poderão argumentar que o céu tem de estar limitado a 144.000, porque se todos os cristãos forem para o céu, não haverá pessoas na terra “sobre” quem o grupo celestial vá governar quando o paraíso na terra se tornar uma realidade, debaixo do governo de Cristo de 1.000 anos. Em resposta a esta objeção, apenas pergunte: •Você não acredita que existirão sobreviventes da Batalha de Deus do Armagedom na terra?  Porque não podem os cristãos ressuscitados governar sobre estes? Visto que estes sobreviventes irão continuar a ter filhos, com sucessivas gerações povoando a nova terra, você não pensa que haverá suficientes pessoas na terra sobre quem os cristãos possam governar pelo inteiro reinado milenar de Cristo, sem limitar o céu apenas a 144.000 pessoas?

A maioria das Testemunhas de Jeová irá perceber o seu ponto de vista e concordará que os sobreviventes do Armagedom irão providenciar pessoas suficientes sobre quem os cristãos possam governar desde o céu. Mas quer concordem com isto ou não, continue a pressioná-los a apresentar provas bíblicas para os seus pontos de vista, por questionar novamente: “Onde na Bíblia afirma que apenas os 144.000 são as ÚNICAS pessoas que estarão no céu?”

•2ª OBJEÇÃO: Elas podem citar João 3:13, que diz: “Ademais, nenhum homem ascendeu ao céu, senão aquele que desceu do céu, o Filho do homem.” Este texto é usado para provar que, visto que nenhuma pessoa foi para o céu antes de Jesus Cristo, o céu não é para a maioria da humanidade. Esta é uma objeção fácil de responder, porque Jesus é Aquele que pagou o preço pelo pecado para que a humanidade tivesse a possibilidade de habitar na presença de Deus (no céu). É por isso que nenhum humano foi para o céu antes de Cristo. 2. Assim, esta passagem NÃO prova que os 144.000 são as únicas pessoas no céu, nem mesmo prova que o céu não foi preparado para os humanos habitarem depois da morte. Lembre-os de que Jesus disse que Ele iria preparar um lugar no céu para os Seus seguidores (João 14:2-3). Então, pode voltar a perguntar: “Onde diz na Bíblia que o céu está limitado a APENAS 144.000 pessoas?”

•3ª OBJEÇÃO: Elas podem alegar que, visto que Deus criou a terra para os justos habitarem nela “para sempre” (Salmo 37:29), Ele pretende que as pessoas habitem “para sempre” na terra com seus corpos ressuscitados. Elas poderão perguntar-lhe porque Deus criaria um novo céu e uma nova terra para serem o lar dos retos (2 Pedro 3:13), se Ele queria que todos os crentes cristãos habitassem em vez disso no céu. Para responder a esta objeção, simplesmente replique com algo semelhante a isto: •Onde no salmo 37:29 afirma que os justos que habitarão sobre a terra, são as pessoas ressuscitadas dentre os mortos? Porque não podem estes ser humanos mortais que irão residir sobre a terra “para sempre” através das sucessivas gerações que continuarão a povoar a terra após a sua morte?
Também, onde na Bíblia afirma que aqueles que ressuscitam para uma vida celestial não terão a capacidade de viajar, indo e vindo entre o novo céu e a nova terra? Visto que Jesus foi capaz de viajar, indo e vindo entre o céu e a terra em Seu corpo ressuscitado (Atos 1:11), porque não poderão todos os cristãos ser capazes de fazer o mesmo, quando o novo céu e a nova terra se tornarem uma realidade? Porque estes justos ressuscitados não podem habitar nos dois locais, se tiverem a capacidade de viajar, indo e vindo entre o céu e a terra? Outra vez, onde na Bíblia diz que o céu é APENAS para 144.000 pessoas?

tass bem  tass bem  tass bem  tass bem  tass bem

À medida que você responder a cada uma das suas objeções (acima) e continuar a insistir para que apresentem um texto que apoie o ensino fundamental da Torre de Vigia acerca dos 144.000, as Testemunhas de Jeová provavelmente ficarão agitadas. Elas talvez peçam para que prove que existem mais do que 144.000 no céu. A próxima questão irá demonstrar como os 24 anciãos são um grupo adicional de pessoas que habitam o céu junto com os 144.000. Após isso, poderá perguntar mais algumas questões (abaixo), que irão provar que a “grande multidão” de Revelação 7 e 19, também está no céu. Estas perguntas irão desafiar grandemente a visão das Testemunhas de Jeová sobre a “grande multidão” ser um grupo de pessoas que será ressuscitada apenas para uma vida prematura.

2. Em Revelação 14:3, nós lemos que os 144.000, irão cantar um novo cântico “diante…dos anciãos”. Nós também lemos sobre os 24 anciãos estarem no céu em Revelação 4:4, 10-11; 5:8-10, 14; 11:16 e 19:4.  Será que o facto de os 144.000 cantarem um novo cântico “diante” dos 24 anciãos, não prova que os 24 anciãos são um grupo separado de pessoas que vivem no céu juntamente com os 144.000? Novamente, pode mostrar-me um único versículo na Bíblia, que diga que APENAS os 144.000 estão no céu?


“E estão cantando como que um novo cântico diante do trono e diante das quatro criaturas viventes e dos anciãos; e ninguém podia aprender esse cântico, exceto os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra.” — Revelação 14:3 3.

3.  Em Revelação 7:9-15, nós lemos sobre uma “grande multidão” que nenhum homem podia contar e que tem membros de todas as nações da humanidade. Quando os 24 anciãos no versículo 13, perguntam de onde este grupo de pessoas “vieram”, a resposta dada nos versículos 14-15, declaram que estas pessoas “saem da grande tribulação” e estão “diante do trono de Deus” e o estão servindo “dia e noite, no seu templo”. De acordo com Revelação 11:19, a localização do “templo” de Deus é no Céu ou na Terra?

“E abriu-se o [santuário do] templo de Deus, que está no céu, e viu-se a arca do seu pacto no [santuário do] seu templo. E houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e um terremoto, e grande saraivada.”— Revelação 11:19

As Testemunhas de Jeová talvez tentem argumentar que o “templo” em Revelação 7:15, refere-se a um templo que inclui o pátio externo, que afirmam, está na terra. Deste modo, talvez argumentem que a “grande multidão”, está apenas servindo na área do pátio externo (terrestre) do templo. Para responder a este argumento, destaque que a palavra grega hi-e-ron’ para templo que inclui o pátio externo, NÃO é a palavra usada nesta passagem. Antes a palavra grega na-os’ usada em Revelação 11:19 para a parte do templo referente ao “santuário” interior é a MESMA palavra grega usada para templo aqui em Revelação 7:15. 4. Assim, a “grande multidão” está servindo na parte do “santuário” interior do templo de Deus no céu e não em algum pátio externo.

4.  Em Revelação 7:16 nós lemos que os da grande multidão “não terão mais fome, nem terão mais sede, nem se abaterá sobre eles o sol, nem calor abrasador”.  Visto que fome, sede e o calor do sol descrevem condições aplicadas à terra, como pode a “grande multidão” existir na terra sem estas condições? Será que esta descrição da localização da “grande multidão” não indica que estão no céu, ao invés de na terra?

5.  Será que  Revelação 19:1 afirma que a “grande multidão” está “no céu” ou na terra?  

“Depois destas coisas ouvi o que era como a voz alta duma grande multidão no céu. Disseram: “Louvai a Jah! A salvação, e a glória, e o poder pertencem ao nosso Deus.”
— Revelação 19:1

As Testemunhas de Jeová podem tentar argumentar que a “grande multidão” mencionada em Revelação cap. 19, não é a mesma “grande multidão” de Revelação 7. Antes, elas podem afirmar que a “grande multidão” em Revelação cap. 19 é um grupo de anjos e não de humanos. Se elas disserem isso, apenas replique por levantar a seguinte pergunta:

•Se esta “grande multidão” de Revelação 19:1 são anjos, porque estão cantando a “salvação” de nosso Deus? Estes anjos nunca pecaram e não necessitam de ser salvos, ou precisam? Novamente, podem mostrar-me um único texto na Bíblia onde diga que os 144.000 são as ÚNICAS pessoas no céu?


Com este ponto, a maioria das Testemunhas de Jeová não têm nada a dizer e normalmente desistem da discussão, porque elas são incapazes de provar que a sua crença acerca dos 144.000 baseia-se na Bíblia. É aqui que você pode mudar a discussão para mostrar como a afirmação da Torre de Vigia, de que os 144.000 são as únicas pessoas no Novo Pacto, afeta seriamente a salvação deles.

6.  Você considera-se como um membro do arranjo do Novo Pacto? Porque sim ou Porque não?

“…apenas os 144.000… têm corretamente participado dos emblemas durante a Comemoração da morte de Jesus, e foi somente com eles que Jesus fez o seu pacto… Os membros da grande multidão não participam neste novo pacto.”  —A Sentinela, 1 de Fevereiro, 1998, pág. 19

“EM QUE CRÊEM AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ… Apenas um pequeno rebanho de 144.000 vai para o céu e governará com Cristo …Os 144.000 nascem de novo como filhos espirituais de Deus … O novo pacto foi feito com o Israel espiritual…” — TESTEMUNHAS DE JEOVÁ — Quem São? Em Que Crêem?, 2000, pág. 13

“Na noite antes de sua morte… quando estabeleceu a celebração da Refeição Noturna do Senhor, Jesus Cristo anunciou o novo pacto, a ser validado por seu sacrifício. …As partes do novo pacto são Jeová, de um lado, e o “Israel de Deus”, os gerados pelo espírito em união com Cristo, que constituem sua congregação ou corpo, do outro lado. … Quando a pessoa é escolhida por Deus para a chamada celestial (He 3:1), Deus introduz tal pessoa em Seu pacto baseado no sacrifício de Cristo. … Jesus Cristo é o Mediador do novo pacto…” —Estudo Perspicaz das Escrituras, vol. 3, 1988, pág. 157

“Jesus Cristo, não é o Mediador entre Jeová Deus e toda a humanidade. Ele é o Mediador entre seu Pai celestial, Jeová Deus, e a nação do Israel espiritual, que está limitado a 144.000 membros.” — Segurança Mundial sob o “Príncipe da Paz” 1986, pág. 10

Como é evidente pelas citações acima das publicações oficiais da Torre de Vigia, a qualquer Testemunha de Jeová que não se considerar um membro dos 144.000, é-lhe ensinado que está isenta de fazer parte do Novo Pacto. Assim, a maioria das Testemunhas de Jeová que encontrar, irá responder à sua questão com um “Não”, porque elas não acreditam pertencer a este grupo de 144.000.

7.  Onde na Bíblia diz que os 144.000 são as ÚNICAS pessoas no Novo Pacto?

Assim como na última secção de questões, onde você desafiou as Testemunhas de Jeová a provar a partir da Bíblia que apenas 144.000 pessoas estão no céu, também elas não poderão apontar um único texto na Bíblia que diga que o Novo Pacto é limitado a APENAS 144.000 pessoas. Elas mostrar-lhe-ão textos que demonstram que o Novo Pacto é feito com o Israel espiritual (Jeremias 31:13; Hebreus 8:8, 10), e elas talvez tentem relacionar o número dos 144.000 ao Novo Pacto por referenciar Revelação 7:1-8 e Revelação 14:1-5. Contudo, nenhum destes textos afirma que o Novo Pacto é limitado a 144.000 pessoas. De facto, a selagem dos 144.000 mencionada em Revelação 7:3-4, ocorre no decorrer da Grande tribulação e é feito para proteger os 144.000 das pragas que virão sobre a terra (veja Revelação 7:1-3). Visto que a Tribulação ainda irá ocorrer, esta selagem ainda não teve lugar! Certamente não se pode referir à selagem para o Novo Pacto porque essa tem estado em operação desde a morte e ressurreição de Cristo, e não existe referência ao Novo Pacto, quer em Revelação cap. 7 ou no cap. 14. Assim, novamente as Testemunhas de Jeová com quem falar, não serão capazes de encontrar um único texto na Bíblia que apoie o seu entendimento de que APENAS 144.000 pessoas são designadas para o Novo Pacto.

8.  Conforme 1 João 5:1, quantas pessoas “nascem de Deus”?

“Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo nasceu de Deus, e todo aquele que ama a esse que fez nascer, ama [também] aquele que nasceu desse.”

9. Visto que a experiência de nascer de novo é um pré-requisito para pertencer ao Novo Pacto e visto que “todos” são capazes de “nascer de Deus” como filhos espirituais, não indica isso que o Novo Pacto está aberto a TODOS os crentes em Jesus Cristo, não apenas a um grupo seletivo de 144.000? O que Jesus afirma que alguém deve ter, de modo a “ver” o Reino de Deus?

“Em resposta, Jesus disse-lhe: “Digo-te em toda a verdade: A menos que alguém nasça de novo, não pode ver o reino de Deus. …O que tem nascido da carne é carne, e o que tem nascido do espírito é espírito. Não te maravilhes por eu te dizer: Vós tendes de nascer de novo.”—João 3:3, 6-7

10.  De acordo com Romanos 8:14, uma pessoa pode ser “conduzida” pelo espírito de Deus, sem ter sido adotada como filho de Deus?

“Porque todos os que são conduzidos pelo espírito de Deus, estes são filhos de Deus. Pois não recebestes um espírito de escravidão, causando novamente temor, mas recebestes um espírito de adoção, como filhos, espírito pelo qual clamamos: “Aba, Pai!” O próprio espírito dá testemunho com o nosso espírito de que somos filhos de Deus.”— Romanos 8:14-16

11.  Visto que a adoção espiritual na família de Deus é um pré-requisito para se ser conduzido pelo espírito de Deus, pode uma pessoa que “não tem o espírito de Cristo”, pertencer a Ele? Como você pode “agradar a Deus”, se o espírito de Deus não morar verdadeiramente em você (Romanos 8:8-9)?

“De modo que os que estão em harmonia com a carne não podem agradar a Deus. No entanto, vós estais em harmonia, não com a carne, mas com o espírito, se o espírito de Deus verdadeiramente morar em vós. Mas, se alguém não tiver o espírito de Cristo, este não pertence a ele.” —Romanos 8:8-9

12.  Existe alguma coisa nestes textos que limitem os privilégios de “nascer de novo” e a “adoção” espiritual pertencentes ao Novo Pacto, apenas a 144.000 pessoas? O que Jesus disse que alguém tinha que comer, de modo a ter vida eterna?

“Concordemente, Jesus disse-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: A menos que comais a carne do Filho do homem e bebais o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos. Quem se alimenta de minha carne e bebe meu sangue tem vida eterna, e eu o hei de ressuscitar no último dia.’ ” —João 6:53-54

13.  Visto que 1 Timóteo 2:5 e João 14:6, declaram que Jesus é o Mediador entre Deus e os homens e é o Único “por meio de quem” podemos chegar a Jeová Deus, como vocês podem receber a salvação e o perdão de pecados, se aceitarem o ensino da Torre de Vigia de que Jesus NÃO é o vosso Mediador?

“Jesus Cristo, não é o Mediador entre Jeová Deus e toda a humanidade. Ele é o Mediador entre seu Pai celestial, Jeová Deus, e a nação do Israel espiritual, que está limitado a 144.000 membros.” —Segurança Mundial sob o “Príncipe da Paz” 1986, pág. 10

“Imagine uma ação jurídica em que esteja envolvido um procurador… Naturalmente, você não estaria nessa ação jurídica, assim, neste sentido, ele não estaria servindo como seu procurador. …pessoas de todas as nações… se beneficiam mesmo agora dos serviços de Jesus. Embora ele não seja seu Mediador legal, pois elas não estão no novo pacto, Jesus é o meio de elas se aproximarem de Jeová.”—A Sentinela, 15 de Agosto, 1989, pág. 31

14.  Onde na Bíblia diz que você não está na “ação jurídica” com Jeová Deus por causa da penalidade pelos seus pecados que precisam de ser perdoados? Como pode Jesus ser o seu meio de se “aproximar” a Jeová se Ele “não está servindo como seu procurador” em representar o seu caso para perdão de seus pecados? Novamente, onde na Bíblia se afirma que o Novo Pacto e o papel de Mediador de Jesus é limitado a 144.000 membros?

“Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e homens, um homem, Cristo Jesus, o qual se entregou como resgate correspondente por todos…” —1 Timóteo 2:5-6

“Jesus disse-lhe: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.” —João 14:6

15.  Você “veio” a Jesus, por diretamente pedir-Lhe o perdão e a dádiva da vida eterna?

“Tudo o que o Pai me dá virá a mim, e aquele que vem a mim, eu de modo algum enxotarei. …Ninguém pode vir a mim, a menos que o Pai, que me enviou, o atraia; e eu o ressuscitarei no último dia.” —João 6:37, 44

“Minhas ovelhas escutam a minha voz e eu as conheço, e elas me seguem. E eu lhes dou vida eterna e elas não serão jamais destruídas, e ninguém as arrebatará da minha mão.” —João 10:27-28

==========

1. Veja:   A Sentinela, 1 de Janeiro, 1997, pág. 10
2. As Testemunhas de Jeová não acreditam que a alma ou espírito da pessoa, exista para além da vida do corpo humano e assim elas não acreditam que alguém tenha existido no céu como espírito antes da sua ressurreição, que acreditam ocorreu primeiro em 1914 para aqueles que morreram fazendo parte dos 144.000. Assim, elas não acreditam no que a maioria dos cristãos acredita sobre os espíritos dos santos do Antigo Testamento habitando no “seio de Abraão”, conforme descrito em Lucas 16:22-23, antes da ressurreição de Cristo no qual Ele abriu a porta para eles saírem do seio de Abraão e irem para o céu. Veja também Mateus 8:11 e 27:52-53.
3. Salvo indicação em contrário, todas as Escrituras são citadas da Bíblia das Testemunhas de Jeová, a Tradução do Novo Mundo.
4. Nota: No artigo da Sentinela de 1 de Maio de 2002, pág. 31, a Sociedade reconhece que a palavra grega na-os’ usada nesta passagem de Revelação 7, é referente à parte do “santuário” interior do templo de Deus.

Fonte: http://4jehovah.org/pt-pt/sera-que-o-novo-pacto-e-apenas-para-um-grupo-de-144-000-pessoas/#more-9102

Kristy123
Moderador
Moderador

Mensagens : 4023
Likes : 222
Data de inscrição : 15/10/2013
Idade : 97
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Existem realmente 2 esperanças para os cristãos - Terra e Céu?

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 19:50


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum